terça-feira, 24 de agosto de 2010

When I was a child I had a fever

Uma semana de dois dias da Pequena Naranjita en Flor Valentina dodói. Tudo começou com a atrasada vacina Tríplice do sábado de vacinação nacional, dia 14/08. Vacinas, vacinas. Fazer ou não fazer, eis a questão? Fazer, lógico. Que mãe vai assumir o risco? Mas será a melhor maneira de proteger os nossos filhotes? 3 vírus de uma só vez em uma criança de 1 ano e 2 meses? É o melhor procedimento? Uma alternativa - não sei. Sei que quase todas as vacinas que a Valentina tomou deram algum tipo de reação infeliz e desnecessária. Pior ainda quando se trata dessas vacinas criadas, divulgadas e realizadas com base no terror social da mídia e do medo da pandemia - como a H1N1. E se foi apenas um golpe da indústria farmacêutica? E se, não? O temível lado da maternidade: a falta de respostas Certas. Nem tudo na vida, aliás, poucas coisas, se resumem a simplicidade do "certo" ou "errado". Só que no Químico&Orgânico, os parâmetros são mais firmes e bem fundamentados. Infelizmente, somos condenados, por 'n' motivos, ao desconhecimento - nos resta a desconfiança. Fato é que a Valen teve febre de domingo a noite a quarta-feira. Teve até uma talvez-quem-sabe (porque os médicos não tem lá muita certeza de nada também), ameaça de convulsão. Correria para hospital a noite, carona de vizinho, ela a tremer e eu quase a infartar, e na emergência não falta a burocracia: "tem que fazer um boletim na recepção antes do atendimento." What a fuck. Uma falta de 'poder', no sentido profundo de compreensão dos processos e procedimentos que, quando se trata de alguém indefeso a depender totalmente da gente, aberta o coração e deixa ele bem pequenininho. Anyway, anyhow. Passada a novela vacina, começou o nariz entupido, a tosse noturna, o não-dormir, o enjoô-manha, inapetente, etc&tal. O que será, que será. Chiado no pulmão, outra vez. Otite médio-aguda, outra vez. Lá vem a porcaria da bombinha cheia de corticóides. O antibiótico vai ver se espera até sexta. Acho que o que estamos precisando é de um homeopata. E, quiça, uma benzedeira.

Um comentário:

alan disse...

quem te viu, quem te ve... lembro de comentar contigo sobre a H1N1, e tu jurava de pe junto que o negocio era pior do que diziam, e agora tu diz que nao passa de um alarde exagerado da midia... eeehhhhhh

pra mim, H1N1 sempre foi exagero, assim como a horrorosa gripe aviaria matou... NINGUEM!

maaaasssss, quando se tem filhos, ser racional as vezes eh dificil... queremos proteger e so, e dai vale tudo