quinta-feira, 13 de maio de 2010

O primeiro ônibus da Valentina - foi o Linha 4

Eis quê. Hoje, aos 11 meses e 9 dias, a Valentina andou de ônibus pela primeira vez. Muito burguesinha essa minha filhinha. Antes disso, só uma lotação-Guarujá, para passear no Barra Shopping - foi nesse dia que ela descobriu "O Rato" do "Palavra Cantada", na televisão da Fnac. Eu fico feliz com esse privilégio, que poucos tem hoje em dia - caronas de carro, para lá e cá, médicos, etc. Facilita a vida. Quantas vezes vejo mães com bebezinhos nas paradas de ônibus, em dias de chuva, frio, calores insuportáveis - e agradeço por não ter precisado passar por isso. Se bem quê. Tem aquelas pessoas sem noção - que acham que o seu prazer de sair e passear se extende, em toda e qualquer situação, aos filhos-bebês. Sem noção - que "gente grande" é "gente grande", "bebês" são "bebês", e cada qual nas suas realidades, curtindo suas viagens. Eu acho que bebê não tem que andar pra lá e pra cá ao bel prazer dos papais e mamães. Tem haver um pouco com aquela coisa de abrir mão do egoísmo. Uma pracinha, solzinho, uma volta na quadra, já está de ótimo tamanho, já tem novidades e diversão suficientes pros pequenos. Levo a Vale para a creche no colo por duas quadras - aliás, cada vez ela pesa mais rsrs -, e todo dia ela olha TUDO no caminho, como se nunca tivesse passado por ali antes. No mais, algumas raras visitas familiares/amigáveis sociais, um Parque, um shops, ou um supermercado. Quando ela começar a caminhar sozinha - ainda segura nas minhas mãos- daí sim, vai querer trilhar estradas cidade a fora. Enfim. A Pequena acordou, foi direto para o banho, e depois, Dra. Cleci. Último dia de antibiótico às 08:00 da manhã - mamãe agradece! Outra otite curada. Que não venha mais nenhuma&maisnada de doencinhas e bababás, pelos próximos meses ao menos. Agora sim, tem que tomar a tal vacina contra o 'H1N1'. Outra crise de valores. Como posso não vacinar? Mas deveria? E as teorias conspiratórias? E se não vacino e ela fica doente? Não tem jeito, tem que assumir algum dos riscos. Com a maternidade, não tomo apenas decisões por mim - o que em tantas situações já não é fácil - mas por Outro Ser também. Ao menos até os 50 anos completos da Valentina. haha. Então, então. No más. Jogo de Grêmio, mazzá! Vitória de Imortal tem que ser de virada, e é muito melhor. E no más. John is breaking Glasses. E no más. Passando base nas unhas na parada de ônibus, pois é o único tempo livre que nos resta, e das mãos emana um perfume enjoado de Veja Multiuso - aquele, roxinho. E no más. Iniciando a re-leitura da lei 8.112. E no más. Dois dvd's novos dos amigos tuyos Backyardigans - porque a repetição continua dos episódios do Tarzan, da festa do chá e não-sei-mais-que estavam me levando a loucura. E no más. Vinho branco, e frio. E no más, repensando Velhas Histórias. Anyway, anyhow...

4 comentários:

Robson disse...

Muito legal! Pensamos parecido

alan disse...

quando vejo as maes e seus nenenzinhos no onibus, me da um arrepio... tanto trabalho, tanta dificuldade... eh por isso que o medo de ter filhos sendo um universitario trabalhando com bolsa de pesquisa eh assustador... mas, sempre tem o famoso "mas"... ate agora so conheci gente que, mesmo parecendo que os seus mundos fossem desmoronar por ter tido um filho "do nada", acabaram se dando muito bem, digo, sem problemas, a vida continua, ninguem morreu de fome... dai me da um no na cabeca... e agora? sera que to perdendo tempo, pensando bobagem, se preocupando demais com "ah, tem que ser tudo certinho"? complicado... e ja tenho quase 26, a vida passando, e isso as vezes traz um certo desespero, sabe?

dudars disse...

"Eu acho que bebê não tem que andar pra lá e pra cá ao bel prazer dos papais e mamães. " - QUEM TE VIU E QUEM TE VÊ, HEIN!! sair da máxima "criança não sente" pra isso aí...RSRSRSRSSRS. acho que, como a ju disse pro ph, não dá pra te levar a sério...rssrssrs. brincadeiras a parte, pra ti, sempre se aplica o "nunca diga nunca"...pois é...

ps: e a val tb já tinha andado de lotação pra ir na cartomante/benzedeira, ao bel prazer da mamãe dela!rsrssrsr

Anna Blume disse...

Bah, é verdade!
Teve a lotação na Ipiranga. Pra tirar los diablos do ano que passou...haha... Outra, Amanda B., 17 anos, não era pra ser coisa séria mesmo...haha